Quem sou eu

Minha foto
Araranguá, Santa Catarina, Brazil
Sou uma pessoa que apesar de meus 90 anos,recém feitos, estou sempre querendo aprender mais e mais. Agora que a tecnologia nos oferece meios cada vez mais eficazes, deixo que minha imaginação sorva tudo o que de bom e possivel para meu aprendizado. Acompanhando tantos blogues lindos arrisquei, com ajuda de meu neto Artur, a compor um no qual exponho minhas telas à óleo. Sou autodidata e pinto desde meus 12 anos. Outro hobby é o cultivo de orquídeas as quais requerem cuidados especiais tomando muito tempo, mas que me dão um prazer indescritivel na época da floração. Dedico ainda algumas horas semanais a um trabalho voluntário na Pastoral da Saúde, onde se ensina o uso de fitoterápicos como medicação alternativa. E assim vou levando a vida, este dom maravilhoso que Deus nos legou, de um modo saudavel, alegre e feliz na companhia de meu sempre amado e dedicado esposo com o qual estou casada há 69 anos e de nossos filhos, netos e bisnetos muito amados.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

MEU DESABAFO

Antes de tudo, quero desculpar-me com os amigos que costumam acessar meu blog por desviar-me do propósito inicial.
O que venho fazer é um desabafo.
Tenho 84 anos, aposentei-me por tempo de serviço. Foram 30 anos de contribuição, primeiro para o IAPC e por último para o INSS. Como eu, milhões de brasileiros assim procederam e encontram-se na mesma situação.
Assistindo ao Jornal Nacional, senti imensa dor, ao ver a monumental festa dos 50 anos de Brasília. Foram tantas homenagens, merecidas é verdade, mas sequer uma alusão ao aposentado, que tanto contribuiu para sua construção.
Mas até ai tudo bem porque sempre há uma desculpa para a falha: o esquecimento.
Pois é, esse esquecimento está se prolongando demais.
Esqueceram que o aposentado necessita de um atendimento médico hospitalar melhor, mais rápido e humano. Esqueceram também que a contribuição mensal ao longo de tantos anos não foi suficiente para, agora, remunerar melhor os médicos, fazendo-os exercer a profissão com mais amor.
Enfim, esqueceram que todo o aposentado necessita de um aumento salarial equiparado ao dos trabalhadores em atividade. Será que não têm vergonha quando estão elaborando a lei salarial e optam por esta disparidade absurda?
E falta mais, esqueceram também que, apesar de tudo, o aposentado continua pagando seus impostos!...
É uma grande injustiça o que estão fazendo conosco.
Ora, se o dinheiro dos aposentados pelo INSS não foi aplicado na construção de Brasília, então é porque na época, já estava sendo desviado para os bolsos dos aproveitadores.
Com a proximidade das eleições, reflitamos muito antes de escolher o novo gestor do nosso país. E não nos esqueçamos de que para ser um bom governante, não basta o apoio dos partidos. Estes já têm seus propósitos. É necessário mais: que o candidato ouça a voz do coração e a siga, na certeza de trilhar o caminho certo, da solidariedade e da honestidade.
Ademais, partido político não tem coração!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

CHUVAS DE VERÃO




Chuvas de verão

O calor estava escaldante naquela tarde de fevereiro.
O céu azul, povoado de minúsculos flocos de alvas nuvens, convidava os veranistas a aproveitar as delícias do mar.
Guarda- sois coloridos davam um toque especial e alegre à praia que já era pequena tantos eram seus ocupantes.
De repente algo acontece. Nuvens plúmbeas, mais parecidas com enormes rolos de fumaça, vindas do sul engoliam aos poucos a luz do sol até que a ocultou por completo.
Guarda-sois desarmados, cadeiras recolhidas, correria total e logo a praia fiou deserta. Somente o mar, com as ondas no seu vai e vêm constante, não perdeu a calma. Nem mesmo o vendaval provocado pelas nuvens o abalaram, porque ele sabia que era passageiro e logo viria a bonança, como acontece sempre...Chuvas de verão...
Aos poucos as nuvens se dissiparam, a praia sentiu-se serena sem o borborinho e agitação de momentos atrás , e, agradecida suas ondas continuaram se espraiando mais lentas, deixando na areia o rendilhado das espumas prateadas pela luz da lua que, medrosa, espia no horizonte para engalanar mais uma noite de plenilúnio apreciada somente por um ciclista solitário.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

A revoada das andorinhas






O vôo das andorinhas

Estas pequenas aves migratórias cortam céus, cruzam mares, voam para terras longínquas, levando para os que as aguardam, o anúncio do verão tão esperado por todos.
Aí, permanecem, escolhendo seus pares para novos acasalamentos, preparando os ninhos para a chegada dos filhotes.
São três meses de intenso labor. Revoadas incansáveis, instruindo e preparando os filhotes para o longo vôo em direção à novas plagas.
Neste verão elas chegaram mais cedo e parece que vão passar a Páscoa conosco. Agora é que estão ensaiando para a partida. Jamais as vimos chegar e sequer a despedida! Será que é à noite ou pela madrugada?
O importante é que sua presença dá um toque especial às tardes na praia, deixando todos pasmos diante do dinâmico bailado que apresentam, com pousos demorados na fiação elétrica das ruas e revoadas incríveis e rasantes, deixando todos fascinados pelo lindo espetáculo que apresentam.
E assim continuam até o momento que se vão levando sonhos e ilusões dos que as acompanharam durante o verão.
Este vai e vem delas nos faz pensar na vida.
Vem de momentos felizes partilhados com quem amamos e depois vai para momentos de dolorosos desentendimentos, para novamente voltar à bonança.
... e a vida continua neste constante vai e vem.

Eliane querida, muito obrigada por mais estas lindas fotos.