Quem sou eu

Minha foto
Araranguá, Santa Catarina, Brazil
Sou uma pessoa que apesar de meus 90 anos,recém feitos, estou sempre querendo aprender mais e mais. Agora que a tecnologia nos oferece meios cada vez mais eficazes, deixo que minha imaginação sorva tudo o que de bom e possivel para meu aprendizado. Acompanhando tantos blogues lindos arrisquei, com ajuda de meu neto Artur, a compor um no qual exponho minhas telas à óleo. Sou autodidata e pinto desde meus 12 anos. Outro hobby é o cultivo de orquídeas as quais requerem cuidados especiais tomando muito tempo, mas que me dão um prazer indescritivel na época da floração. Dedico ainda algumas horas semanais a um trabalho voluntário na Pastoral da Saúde, onde se ensina o uso de fitoterápicos como medicação alternativa. E assim vou levando a vida, este dom maravilhoso que Deus nos legou, de um modo saudavel, alegre e feliz na companhia de meu sempre amado e dedicado esposo com o qual estou casada há 69 anos e de nossos filhos, netos e bisnetos muito amados.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

CHUVAS DE VERÃO




Chuvas de verão

O calor estava escaldante naquela tarde de fevereiro.
O céu azul, povoado de minúsculos flocos de alvas nuvens, convidava os veranistas a aproveitar as delícias do mar.
Guarda- sois coloridos davam um toque especial e alegre à praia que já era pequena tantos eram seus ocupantes.
De repente algo acontece. Nuvens plúmbeas, mais parecidas com enormes rolos de fumaça, vindas do sul engoliam aos poucos a luz do sol até que a ocultou por completo.
Guarda-sois desarmados, cadeiras recolhidas, correria total e logo a praia fiou deserta. Somente o mar, com as ondas no seu vai e vêm constante, não perdeu a calma. Nem mesmo o vendaval provocado pelas nuvens o abalaram, porque ele sabia que era passageiro e logo viria a bonança, como acontece sempre...Chuvas de verão...
Aos poucos as nuvens se dissiparam, a praia sentiu-se serena sem o borborinho e agitação de momentos atrás , e, agradecida suas ondas continuaram se espraiando mais lentas, deixando na areia o rendilhado das espumas prateadas pela luz da lua que, medrosa, espia no horizonte para engalanar mais uma noite de plenilúnio apreciada somente por um ciclista solitário.

3 comentários:

Armando disse...

Oi Vó!
Esse prenúncio de temporal é um momento mágico, e no nosso Morro acontece sempre.

Parabéns pelo blog!

Beijos

Armando

Lilá(s) disse...

O mar sempre nos encanta! até um temporal pode ter beleza junto ao mar! aqui só ainda dá para uns passeios a pé ainda faz frio, e temos muitos dias de céu cinzento, mas mesmo assim sempre que posso lá estou eu a falar com ele e a absorver a beleza de cada dia.
Bjs

M.A. disse...

Oi Marieta!
Fiquei muito contente com o seu comentário no meu blog! Obrigada! ^^
Passei aqui pra ver o seu, que gostei muito!
Nossos blogs provam que não há idade para escrever, não é?

Beijoss