Quem sou eu

Minha foto
Araranguá, Santa Catarina, Brazil
Sou uma pessoa que apesar de meus 90 anos,recém feitos, estou sempre querendo aprender mais e mais. Agora que a tecnologia nos oferece meios cada vez mais eficazes, deixo que minha imaginação sorva tudo o que de bom e possivel para meu aprendizado. Acompanhando tantos blogues lindos arrisquei, com ajuda de meu neto Artur, a compor um no qual exponho minhas telas à óleo. Sou autodidata e pinto desde meus 12 anos. Outro hobby é o cultivo de orquídeas as quais requerem cuidados especiais tomando muito tempo, mas que me dão um prazer indescritivel na época da floração. Dedico ainda algumas horas semanais a um trabalho voluntário na Pastoral da Saúde, onde se ensina o uso de fitoterápicos como medicação alternativa. E assim vou levando a vida, este dom maravilhoso que Deus nos legou, de um modo saudavel, alegre e feliz na companhia de meu sempre amado e dedicado esposo com o qual estou casada há 69 anos e de nossos filhos, netos e bisnetos muito amados.

domingo, 21 de março de 2010

Erva Baleeira

A foto ddesta erva é a que está abaixo da hortelã, que por um "lapso de aprendiz de blog" ficou para traz, por isso peço desculpas.
É uma planta nativa do litoral do Brasil que vai de SãoPaulo até R.G. do Sul.
Desde muito tempo já era usada pelos índios que vêm ensinando até os dias de hoje o valor de suas propriedades curativas. Na medicina popular é conhecida como antiinflamatória, analgésica, tônica, elimina dores na coluna, nevralgias, artrite reumatoide, contusões, reumatismo e limpeza e cicatrização de feridas.
Assim, pescadores quando saiam nas baleeiras para a pesca, as levavam em quantidade, para aplicar nos ferimentos que por acaso sofressem. Eles esmagavam as folhas e esfregavam nas feridas e surtia efeito imediato, bem como usavam seu chá para acalmar as dores sofridas pelo trabalho pesado a que todo o pesador está sujeito.
Cogita-se a hipótese que tenha recebido este nome, erva baleeira, devido ao fato dos barcos usados na pesa serem chamados de baleeiras. Devido sua ação antiinflamatória, o laboratório Aché já pesquisou e desenvolveu uma pomada que vai ser lançada no mercado sob nome de Acheflan.
Trata-se do primeiro antiinflamatório tópico feito com planta brasileira.

Nenhum comentário: