Quem sou eu

Minha foto
Araranguá, Santa Catarina, Brazil
Sou uma pessoa que apesar de meus 90 anos,recém feitos, estou sempre querendo aprender mais e mais. Agora que a tecnologia nos oferece meios cada vez mais eficazes, deixo que minha imaginação sorva tudo o que de bom e possivel para meu aprendizado. Acompanhando tantos blogues lindos arrisquei, com ajuda de meu neto Artur, a compor um no qual exponho minhas telas à óleo. Sou autodidata e pinto desde meus 12 anos. Outro hobby é o cultivo de orquídeas as quais requerem cuidados especiais tomando muito tempo, mas que me dão um prazer indescritivel na época da floração. Dedico ainda algumas horas semanais a um trabalho voluntário na Pastoral da Saúde, onde se ensina o uso de fitoterápicos como medicação alternativa. E assim vou levando a vida, este dom maravilhoso que Deus nos legou, de um modo saudavel, alegre e feliz na companhia de meu sempre amado e dedicado esposo com o qual estou casada há 69 anos e de nossos filhos, netos e bisnetos muito amados.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Morro dos Conventos






Morro dos Conventos

Esta imagem é vista do lado oeste.
Foi num alvorecer primaveril , atravessando o rio Araranguá que serpeia a encosta, quando parei o carro e decidi transpor para a tela mais uma imagem do nosso Morro.
Como ele é lindo! Como já falei anteriormente, visto de todos os ângulos ele apresenta belezas tais que me induziram a fazer estes versos:

Ao Morro dos Conventos

Teu mar pontilhado de surfistas
Tuas praias de areias alvas e brilhantes
Oferecem ao olhar curioso do visitante
Um cenário de belezas surpreendentes

Enquanto garças e gaivotas se confundem
Pescadores e banhistas se revezam
na busca de prazeres e, felizes
em tuas agitadas águas, se banham.

Não bastando tantas belezas naturais
O rio Araranguá se faz presente todo dia,
Convidando os botos à folias tais
Para que turistas se embriaguem de alegria.

Tuas dunas que se erguem majestosas
Se estendem preguiçosas até o mar
E tuas furnas encravadas nas encostas
Fazem a gente parar, admirar e calar.

Para encerrar todo este espetáculo,
Nas noites de luar paramos quedos
A lua oferece às água um ardente ósculo,
enquanto sua luz vai prateando os rochedos

Sentinela sempre alerta
para o mar
teu farol oh! Morro dos Conventos
está sempre a iluminar...
Teu farol oh Morro dos Conventos
está sempre a brilhar...

Nenhum comentário: